CAMPISMO LEGAL!

 Este documento tem por finalidade orientar os praticantes do campismo, no sentido de fazer dessa filosofia de vida algo nobre, que vem da essência das relações humanas desde as caravanas mais primitivas, bem como harmonizar essa cultura com o meio ambiente e a natureza.

Mas o que é o campismo???

  

Clique aqui e saiba mais!

Sugestão de regras básicas para prática do campismo.

 
1- Ao chegar em uma área de acampamento, procure saber sobre o regulamento local a fim de respeitá-lo, e assim ser respeitado.

    Lembre-se: a sua liberdade termina onde começa a do seu vizinho.

                                    


2 - Cuide do seu lixo!

     Procurar separar o lixo seco do lixo orgânico é um bom começo, além de ecologicamente correto, facilitará o descarte/proteção deste, a fim de evitar um eventual ataque de insetos e animais, que vão de formigas e baratas, a cachorros ou outros animais silvestres, que vem atraídos por ele.

                                      

3 - Barulho!

     Lembre-se que som e gosto musical é algo muito pessoal, curta a natureza em sua plenitude e se quiser incrementar com alguma música, faça-o de forma discreta.

     Fones de ouvido são uma ótima dica para abstnências sonoras mais radicais! 

                                     

4 - Respeite o espaço que ocupa.

     Mantenha sua barraca, camper, trailer ou motor-home organizado.

     Deixar tudo espalhado repassa uma má imagem de como é a sua casa habitual.

     Interaja com a natureza e os outros campistas de maneira organizada.

                        

5 - Cordialidade!

     O mais legal do campismo é a quebra de barreiras e classes sociais entre seus praticantes, embalados pela descontração.

     Troca de gentilezas é algo que pode ser praticado independentemente da classe social que se ocupa.

      Equipamento de camping não significa, necessariamente, divisão ou exclusão social.

      Se você não está pronto para conviver socialmente com a cordialidade e descontração dos campistas, procure um resort.

                                      

6 - O descarte de água servida dos veículos de recreação (trailers, motor-homes, campers), deverá sempre ser em locais indicados pelo camping, ou, caso esteja em trânsito como em postos de gasolina, despeje somente em locais destinados para esse fim (soluções paliativas de deixar pingando um pouquinho durante à noite, não livrarão você do vexame apontado pelo forte odor no dia seguinte, quando o sol começar a volatilizar o desagradável cheiro de esgoto, e aí sua moral já terá ido por água abaixo).

      Caso o camping não disponha de um sistema de esgoto para descarte da sua água servida, ou a mangueira do seu equipamento não alcance este local apropriado, procure utilizar os lava louças, lava roupas e vasos sanitários do camping, e deixe sua "reserva sanitária" apenas para o período da noite.

       Procure descartar em local apropriado suas caixas de água servida e da fossa, antes de entrar no camping.

                                               

7 - Gambiarras elétricas.

     Todo cuidado é pouco quando se trata de eletricidade.

     Seja na utilização de barracas ou veículos de recreação, fios desencapados ou com fuga de corrente elétrica podem causar tragédias.

     Lembre-se que o gato que você faz escondido, pode virar uma armadilha e atingir uma criança ou um adulto desavisado e aí a alegria poderá dar lugar a muita tristeza. 
                                         

     Evite sobrecarga em tomadas elétricas e gambiarras com captação de energia de maneira clandestina. 

     Verifique se seu veículo está com isolamento e aterramentos corretos.

     Evite acidentes, em especial, durante períodos chuvosos!

                                    


8 - Utilização racional de água potável!

                                      


       A água potável é um bem muito precioso e raro em algumas regiões e campings, principalmente em altas temporadas. 

      Utilize-a com responsabilidade. 

      Se você possui veículo de recreação com caixa de água, encha-a e utilize de maneira racional. 

      Não é pelo fato de estar pagando que irá desperdiçá-la!

      A menos que tenha autorização, NUNCA lave seu veículo dentro de um camping. 

     O mau exemplo talvez seja pior do que o próprio desperdício da água.
    
     Ao chegar de uma viagem, faça a lavagem do veículo em um posto de serviço antes de entrar no camping. Seja responsável com a água!

                                        


9 - Crianças! 


                                       

     Atenção com as crianças! Seja discreto em orientá-las no sentido de aprenderem, desde cedo, a saber respeitar e interagir com outras crianças e campistas.

     Lembre-se que não existem cercas ou proteções entre as barracas ou veículos, e as brincadeiras devem observar o respeito mútuo entre os campistas, seja pelo barulho ou pela dinâmica de uma bola, que possam incomodar terceiros. 

     A facilidade de fazer amizade que as crianças tem em um camping é muito grande e maravilhosa, mas requer observação e respeito.

    



10 - Alguns campings permitem animais de estimação. 
      
       Contribua para que essa permissão seja permanente, mantendo seu animal de estimação sempre higienizado e sem incomodar ou ameaçar outros campistas. 

       Alguns podem não gostar de animais, mas agindo assim não encontrarão motivos para deixarem de respeitá-los.

                                   


Lembre-se sempre que simpatia é a senha para uma convivência feliz entre os campistas, e equipamento não demonstra hierarquia entre ninguém. 

Amizade verdadeira é algo não se compra, conquista-se!


Sugestão de políticas voltadas para o campismo no Brasil

 

PAC (Programa de Aceleração do Campismo)

 

 

Uma política de recuperação e modernização do campismo brasileiro passa, necessariamente, pelo apoio e incentivo do Estado e de um novo enriquecimento de informações aos campistas, quanto a regras básicas de utilização/convivência nesse estilo de vida.

 

O primeiro passo já foi dado e o grande equivoco que o Código de Transito Brasileiro fez, ao exigir de um condutor de trailer, portar uma CNH categoria “E”, foi corrigido através da Lei nº 12.452, de 21 de julho de 2011 e agora condutores com carteira de habilitação categoria "B", podem tracionar novamente trailers turísiticos.

 

Pedágios mais acessíveis para veículos de recreação que movimentam o turismo através do caravanismo, poderiam incentivar o turismo através do campismo.

 

O reaparelhamento e modernização dos campings atuais devem contar com um mínimo de estudo de viabilidade econômica, que poderia ser assistido por entidades como o SEBRAE, bem assim, os custos para aquisição dos equipamentos poderiam ser subsidiados pelo Estado, sob a forma de isenção de impostos na aquisição destes.

 

Incentivos fiscais e trabalhistas poderiam, assim como na indústria, facilitar o desenvolvimento desse seguimento, dando sobrevida aos campings que atualmente se encontram em situação crítica de funcionamento, ou mesmo, permitir a abertura de novos campings.

 

--) Equipamentos básicos e necessários para o funcionamento de um camping:

 

Área para Rvs (motor-homes, trailers, campers e similares):

 - módulos demarcados com nível para varanda e mesa com bancos em alvenaria e piso em bloquete de cimento ecológico;

-  torneira de água potável, sistema  de esgoto individualizado para água servida e sanitário;

-  ponto para antena  coletiva de rádio e tv, energia preferencialmente com medidor  individualizado, disjuntores anti-choque, e tomadas com aterramento de segurança, com capacidade mínima de 30 amperes, 220 ou 110 volts;

-  bateria de banheiros com sanitários e chuveiros quentes, masculino e feminino, de acordo com a capacidade de Rvs;

-  lava louças e lava roupas com abrigo;

-  possibilidade futura de cobertura dos Rvs, de forma padronizada e sem agredir visualmente o local, caso o local não disponha de sombra de árvores;

-  acessos das vias em bloquetes ecológicos e drenagem das águas pluviais;

 

Área para barracas:

-  sombreamento através de árvores, piso gramado e com drenagem pluvial;

- bateria de banheiros masculino e feminino com chuveiros e sanitários de acordo com a capacidade máxima de barracas;

- pontos com torneiras de serviço, tomadas de baixa amperagem  e disjuntores com aterramento de segurança contra choques e pontos de antena coletiva de rádio e tv;

- lava-louças e lava-roupas com abrigo;

-  Geral:

- guarita na entrada com escritório administrativo;

- casa digna para guarda camping; 

- pára-raios;

- central de informações e atendimento ao campista;

- placas informativas distribuídas pelo camping;

- paisagismo característico de cada região;

 - estacionamento privativo para veículos;

 - caixa de água central para reserva do camping;

-  churrasqueiras e mesas fixas ao ar livre para utilização dos campistas;

- parque infantil com caixa de areia;

 - quadra de esportes polivalente (volei, futsal e basquete);

- area coberta para realização de eventos

- sistema de hidrante para combate a incêndios;

- espaço para lanchonete/restaurante/lojinha de conveniência;

- regulamento a ser estabelecido, incluindo métodos para identificação dos campistas para fins de segurança;

-  bebedouros coletivos; 

 

OBS: justifica-se a separação da área de veículos de recreação da área de barracas, a fim de evitar acidentes por ocasião da manobra de grandes veículos como por exemplo, motor-homes que chegam a 13 metros, e assim preservar a segurança dos campistas de barracas de eventuais sinistros.

              Defendemos ainda algo muito importante como inclusão social nos campings brasileiros, a acessibilidade!!!

Mas o que é mesmo isso? 

Vejamos: "

                  
                    Acessibilidade: significa tornar de fácil acesso certos recursos que alguma pessoa tem dificuldade, que é uma deficiência, que pode ser: auditiva, visual, física, intelectual ou deficiência múltipla.

                        

                   O Brasil não está preparado para a Acessibilidade e ainda não esta se dando conta de que é o futuro, pois de acordo com a Lei No. 10.098, todos os locais públicos e particulares, precisarão ter recursos para acesso de pessoas deficientes, como cadeirantes etc.

 
                Mas isso é possível no campismo???

                Claro! Basta vontade em fazer, e olha que esse é um seguimento diferenciado de grande demanda, investir nessa especialidade é antes de um diferencial econômico, uma questão de respeito ao ser humano, confira mais em: http://www.ncaonline.org/?q=node/656 (acione o tradutor de páginas do Google)

               As limitaçãos do ser humano estão mais ligadas ao seu modo de pensar do que de executar. Quando ao pensamento é dado o poder de voar, a palavra impossível começa a perder força, duvida??

               Então veja para crer que é possível, clique na figura abaixo e surpreenda-se: 

                               
         

 
   Confira esse modelo de camping, clique na imagem e assita o vídeo: 

                                    


 

É essencial o apoio do Estado a nível federal e municipal, no sentido de implementar campings em parques nacionais e parques municipais, possibilitando um uso mais freqüente da população local, intermunicipal, interestadual e até internacional, uma vez que, atualmente é considerável a quantidade de turistas de outros países que são praticantes do campismo brasileiro.

 

A renda desta atividade serviria, sem sombra de dúvidas, para conservar os parques que muitas vezes dependem de uma verba geralmente escassa, bem assim, para geração de empregos ligados a área ambiental, turística e ainda a manutenção desses espaços.

 

Atualmente, muitas instituições, como o sistema S (SESI, SESC e  SENAI), AABBs (Associações Atléticas e Recreativas do Banco do Brasil), APCEFS (Associações da Caixa Econômica Federal) e outras entidades recebem a população na qualidade “comunidade”, cobrando para isso, uma contraprestação pecuniária para participar de suas sedes sociais, submetendo-os, é claro, a seus regulamentos.

 

O campismo poderia ainda ser praticado através da utilização de espaços ociosos em sedes sociais, onde fossem possíveis um mínimo de equipamento como: uma torneira para fornecimento de água, uma tomada de energia, mediante o pagamento de diárias com valores acessíveis e reduzidas para quem mais tempo fosse utilizá-las, além da mensalidade para quem contribui com aquela instituição, seria também uma maneira de otimizar a utilização desses locais, gerando uma renda considerável, sempre observando o regulamento destas.



Áreas para motor-homes na Europa, veja como funciona por lá, clique na imagem abaixo!

                                 


Postos de apoio:

 

Uma política de incentivo aos postos de combustíveis, voltada para um apoio melhor aos campistas em trânsito, e por que não aos profissionais do volante: os caminhoneiros, que transportam as riquezas do Brasil, e que fosse direcionada a melhores condições sanitárias, e incentivos fiscais aos postos mais bem equipados para uso desses profissionais.

 


                   

A exemplo do que ocorre em outros países, o incentivo de criação e/ou equipamento de estacionamentos aptos a receber veículos de recreação, seriam uma ótima alternativa nos locais onde não houvessem campings, gerando uma renda significativa para esses locais e permitindo uma dinâmica maior para o caravanismo. Nesse caso apenas uma tomada de energia, um ponto para esgotamento de agua negra, uma torneira de água potável e segurança, seriam suficientes.

 
Confira na imagem abaixo exemplos de estacionamentos e áreas de paradas



   Protótipo de estacionamento de veículos de recreação em trânsito, clique na imagem abaixo e confira!


                                      


              Por fim, seria ainda salutar, a criação de um colegiado formado por presidentes e coordenadores dos grupos e associações de campistas de todo o Brasil, que poderia ser nominada de Federação Brasileira de Campismo - FEBRACAMPING, cuja sede, pudesse ser virtual e cujas reuniões presenciais ou por vídeo conferência, pudessem ser feitas atendendo a necessidade dos assuntos ligados a melhoria do campismo, sucessivamente, em cada estado de cada região. 

             
 

Texto elaborado pelo Grupo Gaviões do Planalto de Campismo 

 



O QUE ESPERA UM CAMPISTA DO CAMPING?

- respeito e cordialidade;

- acomodações limpas e seguras;

- um bom regulamento e que este seja cumprido;

- preços justos, com cobrança dos valores de maneira clara e transparente;

- utilização de energia e água sem variações ou interrupções, mesmo que seja necessário um pagamento compatível pelo uso excessivo, mas que esteja à disposição do usuário.

- equipamentos básicos para prática do campismo;

- organização da administração;

- flexibilidade e diferenciação na forma de cobrança de diárias. Quem fica por mais tempo merece um desconto.

- Informações sobre a região e pontos turísticos ao seu alcance,

 

 O QUE O ADMINISTRADOR DE UM CAMPING ESPERA DE UM CAMPISTA?

- cumprimento do regulamento estabelecido;

- respeito e cordialidade;

- pagamento das despesas contraídas de maneira transparente;

- regularidade na utilização para sustentar o empreendimento, seja na categoria mensalista ou mesmo na rotatividade ocasional.

- que ele possa sempre retornar e trazer mais campistas;






                 

                                     

 
 
  Site Map